Formas fáceis de montar frases em inglês

No aprendizado de um outro idioma, existem diversas barreiras estruturais e também culturais, mas com o tempo e a adoção de certas estratégias de aprendizagem isso vai melhorando. Fato é que no nível básico do inglês diversos cursos atuam na construção de um vocabulário rico e abrangente, mas acabam pecando naquilo que importa de verdade, a construção de frases. Portanto, confira abaixo algumas dicas de como montar frases em inglês.

Como montar frases em inglês
Montar frases em inglês fica muito mais fácil com um pouco de prática das estruturas básicas. | Foto: Freepik.

Assim como qualquer idioma, o inglês possui diversos padrões e regras que vão ser seguidos na maior parte das situações ao montar uma frase. Portanto, é sim possível criar esquemas pré-fixados para te auxiliar a montar frases em inglês. Abaixo, separamos uma estrutura genérica de frase, e destrinchamos cada um dos elementos com o intuito de que você, além de decorar uma estrutura, consiga entender a utilização dela, de modo geral. Por isso, veja abaixo:

Sujeito + Verbo + Complemento

Nesse caso, a estrutura das frases acaba se mantendo a mesma quando comparamos ao português. Por exemplo, quando falamos: 

  • Eu vou à praia

No caso, do pronome pessoal do caso reto “Eu”, ele vai atuar como o sujeito da frase, já que ele é quem pratica uma ação e portanto é ele quem irá conjugar o verbo que vem a seguir. Nesse caso, o verbo da frase é o verbo “Ir” que está conjugado no presente do infinitivo na primeira pessoa do singular, como pede o sujeito da frase.

Quem vai, vai à algum lugar certo? Portanto, nesse caso, o verbo ir é verbo transitivo e por isso ele pede um complemento, já que a ação do verbo em si, não diz muita coisa na ausência de um complemento. Como por exemplo a frase: “Eu vou”, a pergunta seguinte seria “Para onde?” o que demonstra que há uma necessidade de um complemento verbal. 

Quando traduzimos essa mesma frase para o inglês, a estrutura se mantém, confira: 

  • I go to the beach. (Eu vou à praia)

Nesse caso, é possível ver a repetição da ordem das cores, que mostra que a estrutura se manteve igual, como toda regra, existem algumas exceções, mas de modo geral é essa estrutura que você encontrará. 

Sujeitos

Os sujeitos em inglês têm a mesma função do que em português, eles são o nome da frase, são os responsáveis pela resposta das perguntas: Quem? ou Qual? Desse modo, na frase abaixo o sujeito se faz presente através de um nome, confira. 

  • Lucas drinks water.

Portanto, quando perguntado “Quem bebe água?” a resposta certa seria “Lucas”, isso determina o sujeito de uma frase. 

Verbos

No caso dos verbos, eles acabam sendo as estruturas mais complexas da língua, devido às diversas conjugações e tempos verbais, mas nesse caso a língua portuguesa é milhões de vezes mais complexa, portanto o inglês é mais fácil de aprender.

De modo geral, os verbos atuam representando ações, são auxiliares ou também representam alguns modos. Como, por exemplo, os verbos “to think” e “to paint” representam, respetivamente, as ações de pensar e de pintar. Além disso, o verbo também pode aparecer como auxiliar em uma frase, como o exemplo de “do” e “does” que podem significar a ação de fazer algo, mas também podem servir como auxiliares, principalmente em frases negativas. Por último, mas não menos importante, os verbos modais, são verbos que expressam alguns modos de fala específicos como os casos dos verbos “may”, “might” e “can” que representam, respectivamente, permissão, possibilidade e habilidade. 

Além disso, existe o verbo “to be” que representa ser ou estar, e que é o verbo mais comum da língua inglesa e pode aparecer das seguintes formas “am”, “is”, “are”, “were”, “was”, “been” . Isso vai variar de acordo com a conjugação em relação a pessoalidade e ao tempo verbal. 

Complementos

Os complementos, ou objetos, são aqueles acessórios essenciais, como os óculos de grau em uma pessoa míope. Sem ele, ainda é possível compreender o sentido em alguns casos através do contexto, mas quando o utilizamos, tudo aquilo que precisava ser transmitido, consegue ser transmitido com êxito. No português e no inglês os objetos podem ser tanto diretos, quando não há necessidade de preposição entre o verbo e o complemento, mas também podem ser indiretos, quando existe a necessidade de preposição. Isso varia de acordo com a transitividade do verbo. 

Frases afirmativas

Nas frases afirmativas, não há muito mistério, já que elas costumam ser iguais ao português. Quando usamos a frase “I am beautiful”, a estrutura se mantém a mesma quando comparado ao português. Sujeito, verbo e o complemento verbal (que nesse caso é um predicativo do sujeito, já que complementa um verbo que representa “ser ou estar”). 

Frases negativas

Já nas frases negativas, pode existir a presença do verbo auxiliar “to do”, que nesses casos aparecerá como “don’t” ou “doesn’t” se conjugados no presente, mas também podem aparecer como “didn’t” quando conjugado no passado. Mas existem frases, principalmente as que são formuladas com a utilização de verbos de estado, nos quais é necessário apenas a adição da partícula “not” para representar a negação. Como podemos ver abaixo em:

  • I don’t like cars – Eu não gosto de carros.
  • He doesn’t like cars – Ele não gosta de carros.
  • He is not into cars – Eu não sou muito afim de carros.
  • He didn’t like cars – Ele não gostava de carros.

Uma observação é que nesses casos, o verbo “don’t”, “doesn’t” e “didn’t” são uma forma popular de expressar a negação que é realizada originalmente pela conjugação do verbo “to do” e a adição da partícula “not” ao final. Portanto, em discursos mais formais, adote o “do not”, “does not” e o “did not”, mesmo que essa forma abreviada já seja considerada por muitos a norma padrão. 

Interrogativas

As frases interrogativas também costumam pedir o verbo auxiliar “to do”, só não é utilizado quando a pergunta é realizada com verbos de estado, ou modais, como é possível ver no exemplo abaixo.

  • Do you take the bus often? – Você pega o ônibus frequentemente?
  • Does he take the bus often? – Ele pega o ônibus frequentemente? 
  • Am I wrong? – Eu estou errado?
  • May I drink some water? – Posso beber um pouco de água? 

Nesses exemplos, é notável que há uma inversão da ordem, já que o sujeito acaba sempre indo para segunda posição. Portanto em frases interrogativas, a estrutura acaba sendo: 

  • Verbo Auxiliar + Sujeito + Verbo de ação + Complemento.
  • Modal de Estado  –  nesse caso, não há outro verbo de ação.

E essa regra só não é seguida quando são perguntas referentes à situação ou ao estado de alguém. Desse modo é possível construir frases interrogativas de nível básico. 

Agora que você já conhece as estruturas básicas de como montar frases em inglês, fica muito mais fácil se comunicar. A partir disso, faço o convite para que você conheça o canal no YouTube da Tia do Inglês. Lá, você encontrará diversos conteúdos informativos como esse e também diversos depoimentos de alunos contando sobre as suas próprias experiências aprendendo ou destravando o inglês. Afinal, os conteúdos que estão presentes lá são para alunos iniciantes até os mais avançados.  

Treinamentos

Quer falar inglês Fluente?

Clique no botão abaixo para entrar em nossa Lista VIP👇

Posts Recentes

Veja também

vantagens de aprender inglês

Entra ano e sai ano e eu ainda não falo inglês – Por que isso está acontecendo?

Conversar com um gringo

20 expressões para você usar com um gringo

conversa informal em inglês

Aprenda a começar uma conversa informal em inglês

Pensar em inglês

O guia completo para aprender a pensar em inglês